Doenças condições de gatos

Estrutura e Função do Cérebro e Medula Espinhal em Gatos

Estrutura e Função do Cérebro e Medula Espinhal em Gatos

Abaixo estão informações sobre a estrutura e função do cérebro felino e da medula espinhal. Falaremos sobre a estrutura geral do cérebro e da medula espinhal, como o cérebro e a medula espinhal funcionam, doenças comuns que afetam o cérebro e a medula espinhal e testes de diagnóstico comuns realizados em gatos para avaliar o cérebro e a medula espinhal.

O que são o cérebro e a medula espinhal?

O cérebro e a medula espinhal compõem o sistema nervoso central de um gato. O cérebro é o centro para integrar e interpretar informações de todo o corpo. A medula espinhal atua como um sistema condutor para transmitir informações do cérebro para várias áreas do corpo.

Onde estão localizados o cérebro e a medula espinhal?

O cérebro está localizado dentro do crânio ósseo ou do crânio. A medula espinhal está localizada dentro do canal espinhal que atravessa a coluna vertebral (pescoço e coluna vertebral) e se estende da base do crânio até o meio da cauda.

Qual é a estrutura geral do cérebro felino e da medula espinhal?

O cérebro é uma massa de tecido nervoso cinzento, rosado e macio, dividido em três compartimentos principais: tronco cerebral, cérebro e cerebelo.

  • Tronco cerebral. O tronco cerebral está localizado na base do cérebro e está conectado à medula espinhal e ao cerebelo. Quase todos os nervos cranianos (nervos que controlam várias funções na cabeça) surgem do tronco cerebral.
  • Cérebro. O cérebro, que forma a maior parte do cérebro, pode ser dividido em duas partes principais: os hemisférios cerebrais direito e esquerdo. Os hemisférios são divididos por uma fenda ou fenda estreita chamada fissura longitudinal cerebral. Os dois lados do cérebro são conectados na parte inferior pelo corpo caloso, que transmite mensagens de um lado para o outro.
  • Cerebelo. O cerebelo está localizado na parte de trás do cérebro e é anexado ao tronco cerebral e cérebro. O cerebelo funciona principalmente para coordenar movimento e postura.

    A medula espinhal é uma estrutura alongada, mais ou menos cilíndrica, composta pelo maior feixe de tratos nervosos que carregam impulsos nervosos de e para o cérebro para o resto do corpo. A medula espinhal é conectada a todas as áreas do corpo pelos nervos que saem e entram na coluna vertebral através dos espaços entre as vértebras ósseas.

    Tanto o cérebro quanto a medula espinhal estão encerrados nas meninges, que consistem em três membranas resistentes chamadas dura-máter, aracnóide e pia-máter. O líquido cefalorraquidiano (LCR) é produzido dentro do cérebro em canais ocos chamados ventrículos. Esse líquido envolve o cérebro e a medula espinhal para protegê-los de lesões. Tanto o cérebro como o tecido da coluna vertebral podem ser subdivididos em matéria cinzenta e substância branca.

  • Quais são as funções do cérebro felino e da medula espinhal?

    O cérebro governa vários comportamentos através da aprendizagem, motivação e percepção. Produz impulsos nervosos para fazer os músculos se moverem, enviar sinais aos órgãos e controlar várias funções corporais automáticas. O cérebro também recebe e registra impulsos sensoriais, como visão, som, paladar, tato, olfato e dor.

    A medula espinhal atua para coordenar o movimento e a atividade muscular. Também governa os reflexos automáticos e voluntários, como piscar, arranhar, mexer as orelhas e abanar a cauda.

    Quais são as doenças comuns do cérebro de um gato?

    Os distúrbios cerebrais podem ser subdivididos em anormalidades congênitas, infecções, inflamações, doenças degenerativas, distúrbios metabólicos, condições vasculares, tumores, lesões traumáticas, distúrbios nutricionais, condições tóxicas e doenças de causa desconhecida. Alguns exemplos de doenças cerebrais que ocorrem em gatos estão listados abaixo:

  • A hipoplasia cerebelar está em desenvolvimento do cerebelo. É um distúrbio congênito, ocorrido antes do nascimento. A hipoplasia cerebelar em gatos geralmente ocorre devido à infecção da mãe grávida pelo vírus da panleucopenia felina. A hipoplasia cerebelar resulta em dificuldade ou marcha anormal que geralmente aparece como descoordenação no gatinho.
  • As doenças lisossômicas de armazenamento são um grupo de distúrbios que surgem quando processos metabólicos normais no cérebro não ocorrem devido a enzimas anormais ou deficiências enzimáticas. Exemplos dessas doenças em gatos incluem alfa-manosidose, mucopolissacaridose e lipofucinose ceróide.
  • A doença vestibular periférica é uma condição que afeta o cérebro e os nervos que controlam o equilíbrio. Gatos com doença vestibular têm dificuldade de equilíbrio e orientação. Os sinais incluem inclinação da cabeça e queda. A causa da doença vestibular periférica é desconhecida no gato, mas pode ser devido à migração de um parasita em particular.
  • A encefalite infecciosa é a inflamação do tecido cerebral causada por organismos infecciosos. Nos gatos, pode ser causada por doenças virais (vírus da peritonite infecciosa felina, vírus da leucemia felina, raiva), infestações parasitárias, infecções por protozoários (toxoplasmose, encefalitozoonose), numerosas bactérias e infecções por fungos (blastomicose, criptococose, histoplasmose).
  • As convulsões são atividades cerebrais anormais que podem resultar em convulsões que se manifestam como comportamentos estranhos, tremores, contrações musculares, salivação e defecação. Existem muitas causas de convulsões, como a epilepsia, que é uma condição caracterizada por convulsões recorrentes e que é muito rara em gatos. As convulsões em gatos ocorrem com maior frequência devido à exposição a toxinas, como as encontradas em certos produtos de pulgas e carrapatos.
  • Os tumores cerebrais podem ser primários e surgir a partir de tecidos cerebrais, ou podem ser secundários e se desenvolver a partir de tecidos adjacentes ou distantes. Muitos tumores diferentes podem metastizar para o cérebro.
  • O traumatismo craniano é uma lesão bastante comum em gatos que são atingidos por carros, caem de altura ou recebem lesões contundentes ou penetrantes na cabeça. Os sinais clínicos podem variar amplamente, dependendo do tipo de lesão, mas podem incluir estupor, perda de consciência, anormalidades no tamanho da pupila e a função de outros nervos cranianos, convulsões, fraqueza, incapacidade de andar e inclinação da cabeça.
  • Quais são as doenças comuns da medula espinhal do gato?

    Os distúrbios da medula espinhal geralmente causam disfunção de um ou mais membros e / ou cauda. Distúrbios da medula espinhal podem ocorrer sozinhos ou em combinação com distúrbios do cérebro. Assim como os distúrbios cerebrais, as doenças da medula espinhal podem ser subdivididas em anormalidades congênitas, infecções, inflamações, doenças degenerativas, condições vasculares, tumores, lesões traumáticas, distúrbios nutricionais, condições tóxicas e doenças de causa desconhecida. Alguns exemplos de doenças da medula espinhal que ocorrem em gatos estão listados abaixo:

  • A disgenesia caudal sacral é uma malformação das vértebras da região lombar e da cauda. Essa condição é mais frequente no gato Manx, onde é uma condição herdada. Além de perder a cauda, ​​esses gatos podem apresentar vários déficits neurológicos nas patas traseiras, na extremidade traseira e na bexiga.
  • A meningite infecciosa é a inflamação das meninges do cérebro ou da medula espinhal, decorrente de algum tipo de infecção. As causas mais comuns de meningite em gatos são infecções bacterianas, infecção por peritonite infecciosa felina e infecções fúngicas sistêmicas.
  • Os tumores da coluna vertebral podem ocorrer nas vértebras, nas meninges, nas raízes nervosas e / ou na própria medula espinhal. Os tumores que surgem das células dentro ou cobrindo a medula espinhal são chamados tumores primários. Os tumores que surgem de tecidos próximos que invadem ou colidem com a medula espinhal são chamados de tumores secundários. Um dos tumores espinhais mais comuns em gatos é o linfossarcoma.
  • Que tipos de testes de diagnóstico são usados ​​para avaliar o cérebro e a medula espinhal dos felinos?

  • Um exame neurológico completo, incluindo o teste de vários reflexos, fornece informações valiosas sobre a função do cérebro e da medula espinhal.
  • A análise do líquido cefalorraquidiano (LCR) é o exame microscópico do líquido cefalorraquidiano recuperado através de uma punção lombar. A análise geralmente fornece informações valiosas sobre a presença de infecção, inflamação e outras anormalidades.
  • Os raios X fornecem informações sobre o crânio ósseo ao redor do cérebro e as vértebras que circundam a medula espinhal. O cérebro e a medula espinhal não aparecem bem nos raios X, mas um procedimento especial chamado mielograma pode ajudar a destacar várias áreas da coluna vertebral.
  • A tomografia computadorizada (tomografia computadorizada ou tomografia computadorizada) é uma técnica especial de raios-X que fornece imagens seriais do cérebro e da medula espinhal, usando processamento aprimorado do computador.
  • A ressonância magnética (RM) utiliza as propriedades de certos tecidos submetidos a campos magnéticos extremamente poderosos para gerar imagens detalhadas dos órgãos do corpo. A ressonância magnética é uma ferramenta muito útil na avaliação do cérebro e da medula espinhal.
  • Vários testes eletrodiagnósticos estão disponíveis para avaliar diferentes funções do cérebro e da medula espinhal. Esses testes incluem a resposta evocada auditiva do tronco encefálico (BAER), usada para detectar surdez; o eletroencefalograma (EEG), que pode detectar anormalidades na atividade cerebral durante um distúrbio convulsivo; e velocidade de condução nervosa (NCV), que avalia a função dos nervos periféricos.