Doenças condições de gatos

Estrutura e função da glândula pituitária em gatos

Estrutura e função da glândula pituitária em gatos

Abaixo estão informações sobre a estrutura e função da hipófise felina. Falaremos sobre a estrutura geral de como a hipófise funciona em gatos, doenças comuns que afetam a hipófise e testes diagnósticos comuns realizados em gatos para avaliar a hipófise.

O que é a glândula pituitária?

A hipófise, também conhecida como hipófise, é uma pequena glândula oval que é anexada à parte inferior ou à base do cérebro do gato. É um elo importante entre o sistema nervoso e o sistema endócrino e libera muitos hormônios que afetam várias funções do corpo.

Onde está localizada a glândula pituitária de um gato?

A glândula pituitária está localizada na parte inferior do cérebro, dentro do crânio. A hipófise é anexada ao hipotálamo (uma parte importante da parte inferior do cérebro) através de uma estrutura semelhante a uma haste. O hipotálamo atua como o centro coletor de informações sobre o bem-estar interno do corpo. Ele usa muitas dessas informações para regular a secreção dos hormônios produzidos pela hipófise.

Qual é a estrutura geral da glândula pituitária do gato?

A glândula pituitária é menor que o tamanho de uma ervilha. Fisiologicamente, a glândula pituitária é dividida em dois lobos distintos que surgem de diferentes fontes embriológicas.

  • O lobo anterior (frente) é chamado de adenohipófise, que é subdividida em três regiões que produzem uma variedade de hormônios. É controlado por substâncias chamadas hormônios liberadores que são transportados do hipotálamo através de pequenos vasos sanguíneos.
  • O lobo posterior (traseiro) inclui a neuro-hipófise, que é controlada pelas fibras nervosas do hipotálamo.
  • Quais são as funções da glândula pituitária felina?

    Embora muito pequeno, esse órgão desempenha um papel regulador importante em todo o sistema endócrino. Cada lobo da hipófise produz certos hormônios em resposta às necessidades do corpo. Eles são então circulados no sangue para uma variedade de tecidos do corpo. O posicionamento estrutural próximo dos segmentos glandular e nervoso dessa glândula é simbólico de sua função na inter-relação dos sistemas nervoso e endócrino.

    As funções da adenohipófise são produzir hormônios que ativam outros órgãos endócrinos. Exemplos desses hormônios estimulantes são os seguintes:

  • O hormônio do crescimento estimula o crescimento de várias células e tipos de tecidos.
  • A prolactina estimula a produção de leite após o parto.
  • O hormônio adrenocorticotrópico (ACTH) estimula as glândulas supra-renais.
  • O hormônio estimulador da tireóide (TSH) estimula a glândula tireóide.
  • O hormônio folículo-estimulante (FSH) estimula os ovários e testículos.
  • O hormônio luteinizante (LH) estimula os ovários e testículos.
  • O hormônio estimulador de melanócitos controla a pigmentação ou cor da pele.

    A neuro-hipófise tem duas funções principais, dependendo do hormônio produzido:

  • Hormônio antidiurético (ADH) ou vasopressina regula a conservação da água pelo rim
  • A ocitocina é um estímulo potente dos músculos do útero e induz contrações uterinas. Também encoraja o leite a ser expresso dos alvéolos para os ductos mamários durante a amamentação.
  • O que são doenças comuns da glândula pituitária?

    Não há distúrbios comuns da glândula pituitária no gato, e doenças hipofisárias são muito raras no gato. A maioria resulta da superprodução ou subprodução de um dos hormônios da hipófise.

  • Hiperadrenocorticismo. A superprodução do hormônio da hipófise, ACTH, produz uma doença chamada hiperadrenocorticismo ou doença de Cushing. A superprodução de ACTH estimula as glândulas supra-renais a produzir quantidades excessivas de hormônios cortisol. A doença de Cushing é geralmente observada em gatos de meia idade a mais velhos. Fraqueza, letargia, pêlos anormais, aumento da incidência de infecções e aparência barriguda são sinais comuns.
  • Acromegalia. A superprodução do hormônio de crescimento da hipófise resulta em uma doença chamada acromegalia. A acromegalia no gato geralmente surge de um tumor em funcionamento da hipófise. Muitas vezes, causa diabetes açúcar (diabetes mellitus) e insuficiência renal. Estes gatos ficam muito doentes e muitas vezes morrem.
  • A subprodução do hormônio da hipófise, o ADH, causa diabetes insipidus ou diabetes da água. O diabetes insípido é um distúrbio no qual os rins são incapazes de reter água e os gatos afetados não conseguem concentrar sua urina e urinar excessivamente. Eles também têm muita sede. Esta doença é extremamente rara em gatos.
  • Embora uma deficiência de hormônio do crescimento seja teoricamente possível no gato, ela não foi documentada em casos clínicos.
  • Tumores hipofisários, benignos e malignos, podem ocorrer em gatos.
  • Que tipos de testes de diagnóstico são usados ​​para avaliar a glândula pituitária?

    Existem vários testes que são particularmente úteis na avaliação da hipófise.

  • Exames de sangue. A maioria desses testes mede a quantidade de cortisol na corrente sanguínea e são testes cronometrados, realizados ao longo de um dia. Exemplos destes incluem o teste de estimulação com ACTH, medição de ACTH no sangue e testes de supressão de baixa e alta dose de dexametasona (LDDST, HDDST).
  • Um perfil bioquímico sérico pode revelar a presença de diabetes mellitus, insuficiência renal e outros distúrbios em gatos com acromegalia.
  • O diagnóstico da acromegalia requer a medição dos níveis de somatomedina C (fator de crescimento semelhante à insulina-I) no sangue.
  • A tomografia computadorizada (tomografia computadorizada) e / ou ressonância magnética (RM) também são ferramentas valiosas na avaliação da forma, tamanho e estrutura interna da glândula pituitária.