Saúde animal de estimação

Seus cães e segurança na piscina

Seus cães e segurança na piscina

Em um dia quente, possuir uma piscina definitivamente tem suas vantagens como refúgio do calor. Ele também tem o potencial de uma tragédia familiar durante todo o ano, se você não tomar cuidado.

As questões de segurança da piscina para animais de estimação são quase sinônimos das crianças, e vão muito além da supervisão cuidadosa. Com animais de estimação e crianças, você nunca pode assumir que pode assisti-los o tempo todo. Leva apenas alguns minutos de distração para qualquer um voar pela porta e entrar na piscina. De fato, um estudo mostrou que, no caso de crianças, a supervisão falhou em 69% dos incidentes de afogamento.

Com isso dito, as piscinas podem ser muito divertidas para o seu animal de estimação. Aqui estão apenas alguns dos problemas que você deve considerar:

  • Embora muitos cães gostem da água, não pense que eles podem nadar naturalmente. Nunca jogue um cachorro na piscina; ele pode entrar em pânico e não conseguir escalar os lados escorregadios para sair da piscina.
  • Até excelentes nadadores perderão gradualmente suas habilidades à medida que envelhecem e se tornam mais fracos. Além disso, os cães idosos são mais propensos a escorregar e cair em uma piscina.
  • Calor e luz solar são mais intensos ao redor de uma piscina. Seu cão não consegue se manter tão fresco quanto você, portanto, observe sinais de superaquecimento. Não deixe seu cachorro beber da piscina; o cloro o deixará doente.
  • Na mesma linha, você deve estar ciente de que a água clorada pode irritar os olhos do seu cão. Quando vocês dois terminarem de brincar na piscina, lave seu cão com água fresca para tirar o cloro.

    Ao projetar medidas de segurança, muitas pessoas acham útil pensar em "camadas de proteção" para se proteger contra os imprevistos. Por exemplo, quando você está ausente, o que impede o animal de estimação de outra pessoa (ou criança) de entrar na piscina do quintal? A seguir, algumas dicas que podem evitar a tragédia:

  • Instale uma cerca ou barreira transparente na piscina. Esta é sua primeira e melhor linha de defesa. Existem muitas cercas de piscina de qualidade no mercado. Uma vez instalado, mantenha-o fechado o tempo todo, mesmo que você deixe a área da piscina para entrar por alguns minutos. A cerca deve ter um portão que se fecha e se trava.
  • Mantenha as portas da piscina bem fechadas. Muitos cães e gatos podem abrir portas com o nariz, portanto, verifique se não há espaço entre o atolamento ou o corrediço da porta de vidro deslizante e a própria porta.
  • Compre um dispositivo de alarme de piscina flutuante. Estes flutuam na sua piscina e desaparecem se a superfície da piscina for perturbada. Você deve projetá-lo para que o alarme soe dentro e fora de sua casa. Os raios infravermelhos também podem alertá-lo para o perigo.

    Para sua saúde e a saúde do seu animal de estimação, verifique se o equilíbrio químico da sua piscina está correto. Como qualquer proprietário de piscina sabe, é preciso muito pouco para desequilibrá-la; seu animal de estimação pode ficar doente se ele beber ou for exposto às algas verdes que inevitavelmente invadem sua piscina de vez em quando.

  • Uma nota sobre segurança na praia

    Se você levar seu cachorro para a praia, observe cuidadosamente os sinais de superaquecimento e exposição ao sol; a areia fica muito quente, o sol é mais intenso e os cães transpiram pelas almofadas nos pés.

    Durante o verão, a água também esquenta, estimulando o crescimento de “piolhos do mar”, organismos microscópicos que podem causar coceira intensa. Os avisos são geralmente publicados quando os piolhos estão presentes em grandes números. No entanto, depois de nadar no oceano, você e seu cão devem enxaguar abundantemente com água fresca imediatamente. Se você encontrar inchaços vermelhos e seu cão estiver coçando furiosamente, leve-o a um veterinário para tratamento.